sábado, 23 de fevereiro de 2013

Sábado da 4ª Semana da Quaresma



REZANDO COM O EVANGELHO DO DIA
(LECTIO DIVINA)

Reflexões de Frei Carlos Mesters, O.Carm.


Sábado da 4ª Semana da Quaresma

1) Oração

Ó Deus, na vossa misericórdia,
dirigi os nossos corações,
pois, sem o vosso auxílio,
não vos podemos agradar.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

2) Leitura do Evangelho   (João 7, 40-53)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo João - Naquele tempo, 40Ouvindo essas palavras, alguns daquela multidão diziam: Este é realmente o profeta. 41Outros diziam: Este é o Cristo. Mas outros protestavam: É acaso da Galiléia que há de vir o Cristo? 42Não diz a Escritura: O Cristo há de vir da família de Davi, e da aldeia de Belém, onde vivia Davi? 43Houve por isso divisão entre o povo por causa dele. 44Alguns deles queriam prendê-lo, mas ninguém lhe lançou as mãos. 45Voltaram os guardas para junto dos príncipes dos sacerdotes e fariseus, que lhes perguntaram: Por que não o trouxestes? 46Os guardas responderam: Jamais homem algum falou como este homem!... 47Replicaram os fariseus: Porventura também vós fostes seduzidos? 48Há, acaso, alguém dentre as autoridades ou fariseus que acreditou nele? 49Este poviléu que não conhece a lei é amaldiçoado!... 50Replicou-lhes Nicodemos, um deles, o mesmo que de noite o fora procurar: 51Condena acaso a nossa lei algum homem, antes de o ouvir e conhecer o que ele faz? 52Responderam-lhe: Porventura és também tu galileu? Informa-te bem e verás que da Galiléia não saiu profeta. 53E voltaram, cada um para sua casa. - Palavra da salvação.

3) Reflexão

*  No capítulo 7, João constata que havia várias opiniões e muita confusão a respeito de Jesus no meio do povo. Os parentes pensavam de um jeito (Jo 7,2-5), o povo pensava de outro jeito (Jo 7,12). Uns diziam: "Ele é o profeta!" (Jo 7,40). Outros diziam: "Ele engana o povo!"(Jo 7,12) Uns elogiavam: "Ele é bom!" (Jo 7,12). Outros criticavam: "Ele não estudou!" (Jo 7,15) Muitas opiniões! Cada um tinha os seus argumentos, tirados da Bíblia ou da Tradição. Mas ninguém se lembrava do messias Servo, anunciado por Isaías (Is 42,1-9; 49,1-6; 50,4-9; 52,13-53,12; 61,1-2). Hoje também há muita discussão sobre religião, e cada um tira os seus argumentos da Bíblia. Como no tempo, assim também hoje, acontece muitas vezes que os pequenos são enganados pelo discurso dos grandes e, às vezes, até pelo discurso do pessoal da igreja.
*  João 7,40-44A confusão no meio do povo. A reação do povo é a mais variada possível. Uns dizem: é o profeta. Outros: é o Messias, o Cristo. Outros rebatem: não pode ser, porque o messias virá de Belém e esse aí vem da Galiléia! Estas várias idéias sobre o Messias provocavam divisão e briga. Havia até gente que queria prendê-lo, mas não o fizeram. Provavelmente, porque tinham medo do povo (cf. Mc 14,2).
*  João 7,45-49Os argumentos das autoridades. Anteriormente, diante das reações do povo favoráveis a Jesus, os fariseus tinham mandado guardas para prendê-lo (Jo 7,32). Mas os guardas voltaram ao quartel sem Jesus. Tinham ficado impressionados com a fala tão bonita: "Ninguém jamais falou como esse homem!" Os fariseus reagiram: "Até vocês se deixaram enganar!" Para os fariseus, só mesmo "esse povinho que não conhece a lei" se deixa enganar por Jesus. É como se dissessem: "Nós, os chefes, conhecemos melhor as coisas e não nos deixamos enganar!" Eles chamam o povo de "maldito"! As autoridades religiosas da época tratavam o povo com muito desprezo.
*  João 7,50-52A defesa de Jesus por Nicodemos. Diante deste argumento estúpido, a honestidade de Nicodemos se revolta e ele levanta a voz para defender Jesus: "Desde quando a nossa lei condena alguém sem primeiro ouvi-lo para saber o que fez?" A reação dos outros é de deboche: "Até você, Nicodemos, virou Galileu, hein!? Dê uma olhada na Bíblia e verá que da Galiléia não pode vir nenhum profeta!" Eles estão seguros! Com o livrinho do passado na mão se defendem contra o futuro que chega incomodando. Assim muita gente faz até hoje! Só aceito o novo se ele estiver de acordo com as idéias deles que são do passado.

4) Para um confronto pessoal

1. Quais são hoje as diferentes opiniões sobre Jesus que existem no meio do povo? E na sua comunidade, existem diferentes opiniões que geram confusão? Quais? Conte.
2. Há pessoas que só aceitam o novo se ele estiver de acordo com as idéias deles que são do passado. E eu?

5) Oração final

A minha defesa está em Deus,
ele salva os que têm o coração reto.
Darei graças ao SENHOR por sua justiça
e cantarei salmos ao nome do SENHOR Altíssimo. (Sl 7, 11)


Nenhum comentário:

Postar um comentário